sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Sabotage - É Como um Míssel


Não vem que não tem
respeitei tá li septilei
pra por terror eu também
sou igual a voçês
so falo o que sei, aprendem sou lá do brooklin
favela morra oplis campinho canão brooklin
pra rappin hood, chega quem é não ilude
amigos também
festeja mouto quer também
o perdão que falta hoje é aquilo quem é sabe
Jesus nos troxe poder saber que a paz é monte
precária favela, sambão toda sexta,
lembro sou problema, terrivel na queda
tão pouco ser he-man tão pouco ser spectraman
esqueça-me sou filho pai bom lembre-se mundim ruim
toliçe espraiada comdi
se não sabes pedir
faça trabalho, seja um homem não existe mavel
não quero ser real a bala é dor fél
ter medo é cruel na pátrica é click cléu
foi como um missel pode crer
cruel, cruel, cruel, cruel, cruel


Não faça isso ok Fei
coca não é rapé
depois qualé que é
o crime tem suas regras quem é é
guerreiro rap inverte passo a paste quem sabe
tão pode crer nasci bebê, não nasci covarde
sou Sabotage, o bem ou mal meu rap haje
assim me vim cantar representar, falando um monte
brigar pra que se agora é minha vez, é oussa-me
o rap é como um filho então louvemos ao mestre
ouvi meu som nun baile, bati cabeça invande
lazer de um misselvage, o espaço de um camicarre
rap louco chapa o globo, é eu uso a mente
os "homi", já sabe que eu sou rap enquadra sempre
o simples Martin gera tal problema tilzim
quer um conselho jow, coca mais não só do verdin
as ruas endoidou, quem tem mais qué tá assim
na selva jow a caça está aberta
ao estopim foi como um missel..

Nenhum comentário:

Postar um comentário